Tainá Hinckel e Alex Ribeiro vencem o Floripa Pro que abriu o Circuito Catarinense 2023

Tainá Hinckel (SC)
(Marcio David / Fecasurf)

Alex Ribeiro (SP)
(Marcio David / Fecasurf)

Finalistas na Joaca
(Marcio David / Fecasurf)

Alex e Tainá
(Marcio David / Fecasurf)

Tainá Hinckel (SC)
(Marcio David / Fecasurf)

A bicampeã catarinense derrotou a peruana Camila Sanday na primeira decisão do domingo e Alex venceu uma final paulista com Gabriel Klaussner na Praia da Joaquina

04.06.2023  |  1.406 visualizações

CLIQUE AQUI PARA BAIXAR MAIS FOTOS DO DOMINGO

          O Floripa Pro apresentado pela Prefeitura de Florianópolis abriu o Circuito Profissional de 2023 da Federação Catarinense de Surf (FECASURF), com Tainá Hinckel e Alex Ribeiro inaugurando o “Bosque das Vitórias” na Praia da Joaquina. A bicampeã catarinense derrotou a peruana Camila Sanday na primeira decisão do domingo, depois Alex venceu uma final paulista com Gabriel Klaussner. O campeão barrou o último catarinense, mas Caetano Vargas larga na frente do ranking estadual de 2023, junto com o carioca Lucas Silveira, também eliminado nas semifinais. A segunda das cinco etapas do Circuito Catarinense Profissional de 2023, será nos dias 8 a 10 de setembro na Prainha de São Francisco do Sul, no norte do estado.

          “Estou muito feliz em iniciar o Circuito Catarinense Profissional com vitória. O campeonato foi irado e quero agradecer a todos pela estrutura incrível”, disse Tainá Hinckel. “Estou feliz também em estar aqui em mais um dia maravilhoso na Joaquina, nesse lugar incrível que venho competir desde muito pequena. Estou amarradona de vencer mais um campeonato aqui na Joaca, deu tudo certo hoje para mim e vamos pra próxima”.

          Na decisão do primeiro título do Floripa Pro Etapa Joaquina, Tainá Hinckel abriu a bateria numa esquerda que formou a parede para fazer três ataques de backside. Ela largou na frente com nota 6,50 e a peruana Camila Sanday pega a sua primeira esquerda também, que proporciona uma manobra forte na junção, que valeu 4,33. A bicampeã catarinense fica mais ativa dentro d´água e logo pega outra esquerda boa, para somar uma nota 5,50.

          A peruana passou a precisar de 7,67 para vencer, quando a bateria com 30 minutos de duração chegou na sua metade. Só que Tainá ainda achou outra esquerda boa, para mandar duas batidas verticais de backside, que arrancaram 7,83 dos juízes. Essa nota praticamente selou a sua quinta vitória nas seis etapas da história da categoria feminina no Circuito Profissional da Federação Catarinense de Surf.

          Tainá Hinckel venceu os dois únicos títulos estaduais e começa a temporada 2023 liderando o ranking, com os 1.000 pontos da vitória sobre a peruana Camila Sanday, por 14,33 a 8,83 pontos. Nas semifinais, ela venceu um verdadeiro clássico do surfe catarinense, contra a vice-campeã estadual de 2021 e 2022, Laura Raupp. Essa foi a terceira final de Tainá Hinckel esse ano e a segunda que venceu. O outro título foi conquistado no QS 5000 de Saquarema e só perdeu a do QS 3000 da Praia Mole, em Florianópolis, para Silvana Lima.

          “Esse ano tem sido bom para mim. Apesar de alguns altos e baixos, estou feliz pelas conquistas que foram muito importantes para mim esse ano”, disse Tainá Hinckel. “Mas o ano está só começando, tem muita coisa pra rolar ainda, muitos eventos para participar e estou feliz por estar competindo bem, surfando bem nas baterias. Apesar do mar estar pequeno hoje aqui, tinha altas ondinhas e foi maneiro, porque consegui achar duas ondas boas nas baterias, para ir passando e também para vencer o campeonato”.

LÍDERES DO RANKING - A primeira decisão de título do Floripa Pro Etapa Joaquina foi iniciada as 11h15, logo após Alex Ribeiro fazer um novo recorde de 16,77 pontos no campeonato, somando notas 8,17 e o 8,60 de um aéreo de frontside nas esquerdas da Joaca. Essa vitória na segunda semifinal sobre o bicampeão catarinense, Caetano Vargas, confirmou uma decisão paulista na etapa de abertura do Circuito Catarinense Profissional de 2023. Isso porque o jovem Gabriel Klaussner, já havia barrado o carioca Lucas Silveira, que mora em Florianópolis há muitos anos e ficou em terceiro lugar no ranking estadual do ano passado.

          Como os dois finalistas são do litoral paulista, Caetano Vargas e Lucas Silveira largam na frente da corrida pelo título catarinense de 2023, dividindo o primeiro lugar no ranking com os 730 pontos recebidos pela terceira posição no Floripa Pro Etapa Joaquina. Caetano é um dos poucos surfistas que podem igualar o único tricampeão catarinense da história, David Husadel, em 1981, 1983 e 1984. Caetano Vargas venceu os títulos de 2016 e 2017.

          “Não consegui ir pra final, mas é sempre importante estar representando o estado de Santa Catarina da melhor forma”, disse Caetano Vargas. “Eu consegui fazer boas baterias no evento, então agora é manter o foco no restante do ano, para tentar conseguir mais um título catarinense e entrar para a história. Estou feliz por competir de novo aqui na Praia da Joaquina, que é um palco maravilhoso para campeonatos e sempre tem altas ondas, independente do tamanho. Hoje foi um dia incrível, de ondas pequenas, mas muito boas”.

NOVOS RECORDES - No domingo as ondas estavam pequenas, com as séries demorando a entrar, mas a Praia da Joaquina seguiu mandando boas esquerdas para fazer várias manobras de borda e aéreas também. O campeão, Alex Ribeiro, comprovou isso registrando novos recordes no Floripa Pro Etapa Joaquina. Ele bateu todas as marcas do paranaense Lucas Catapam, aumentando o maior somatório de 16,67 para 16,77 pontos nas semifinais e a maior nota de 9,00 para 9,07, que garantiu a vitória na final paulista com Gabriel Klaussner.

          “Eu até acabei errando um aéreo bom, que eu poderia virar. Mas, no final consegui fazer ele (Gabriel Klaussner) ir numa onda e vi que atrás entrou uma muito melhor, perfeita”, descreveu Alex Ribeiro, sobre a onda da nota 9,07. “Na segunda manobra, eu até pensei em fazer um aéreo, mas ela perdeu um pouco de força, então mandei uma batida chutando com pressão. Eu sabia que ia sair uma nota alta, se completasse a manobra”.

DECISÃO MASCULINA - A última decisão de título do Floripa Pro Etapa Joaquina começou com Gabriel Klaussner achando uma esquerda que abriu a parede para combinar três manobras muito fortes de backside, que arrancaram nota 8,50 dos juízes. Alex então arrisca um aéreo para voltar ao jogo com nota 7,00, mas Gabriel aumenta a diferença para 6,51, com a nota 5,00 que conseguiu numa direita. Alex chega perto disso na onda que pegou quando restavam 8 minutos, mas a nota saiu 6,07.

          O mar ficou mais constante, com mais ondas entrando e Alex arrisca o aéreo rodando, porém não completa a aterrissagem. Gabriel repete o ataque vertical de backside em outra esquerda e a nota 6,00 recebida, aumenta a vantagem para 7,51. Mas, tudo foi decidido na série que entrou nos minutos finais. Gabriel Klaussner pegou a primeira e Alex Ribeiro veio na de trás, que era melhor e conseguiu mandar duas manobras sólidas de frontside, que ganharam 9,07 dos juízes. Com a maior nota do campeonato, Alex virou o placar para 16,07 a 14,50 pontos.

          “Estou muito feliz. No ano passado fui campeão paulista, fiz uma final semana passada em Baía Formosa (na segunda etapa da Taça Brasil da Confederação Brasileira de Surf encerrada no domingo passado) e agora vencendo aqui no Circuito Catarinense, mostra que estou em boa fase”, disse Alex Ribeiro. “Acredito que estou melhorando a cada evento e o próximo vai ser o Dream Tour em Garopaba (na primeira semana de julho), então vamos com tudo”.

TRÊS FINAIS EM 2023 - Assim como o experiente surfista da Praia Grande, que já fez parte da elite mundial da World Surf League, o jovem ubatubense Gabriel Klaussner, também está numa boa fase da sua carreira. A final no Floripa Pro Etapa Joaquina foi a terceira dele esse ano. Gabriel ganhou a decisão Pro Junior do Saquarema Surf Festival e ficou em segundo lugar contra o campeão mundial Adriano de Souza no WSL Qualifying Series de Garopaba (SC).

          “O Alex (Ribeiro) é um veterano né, como o locutor disse”, destacou Gabriel Klaussner. “Ele conseguiu me vender uma ondinha, que eu não poderia deixar pra ele, porque poderia mandar um aéreo e me ganhar. Só que veio a boa atrás e ele virou. Mas, estou feliz por fazer mais uma final, é a terceira seguida, Saquarema, Garopaba e aqui, então é só manter o foco e esse ritmo nas próximas competições”.

BOSQUE DAS VITÓRIAS - O Floripa Pro Etapa Joaquina inaugurou uma nova ação ambiental implementada pela Federação Catarinense de Surf no Circuito Profissional desse ano, o “Bosque das Vitórias”. Em todas as etapas, o campeão e a campeã vão plantar uma árvore com uma placa identificando seus nomes. Nesta primeira etapa, elas foram plantadas por Tainá Hinckel e Alex Ribeiro no estacionamento da Praia da Joaquina. E a Associação de Surf da Joaquina (ASJ) já anunciou que os vencedores de todos os próximos eventos na praia, também plantarão mudas no “Bosque das Vitórias” idealizado pela FECASURF.

CINCO ETAPAS - O Floripa Pro Etapa Joaquina foi a primeira das cinco etapas do Circuito Catarinense Profissional de 2023. Em cada uma, a FECASURF oferece 50.000 Reais de premiação, a ser dividida aos mais bem colocados nas categorias masculina e feminina, com as mulheres recebendo o mesmo valor do que os homens nas mesmas colocações. A segunda etapa será nos dias 8 a 10 de setembro na Prainha de São Francisco do Sul, no Norte do estado. As outras estão marcadas no litoral Sul, Garopaba e Laguna, com a grande final acontecendo em Florianópolis.

O Floripa Pro Etapa Joaquina foi uma realização da Federação Catarinense de Surf (FECASURF) e Associação de Surf da Joaquina (ASJ), com patrocínio da Prefeitura de Florianópolis, através da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer, apoio do Cris Hotel, dos restaurantes Pedra Careca, Recanto do Maurílio e À Tôa na Jôa, do Mercado e Panificadora Corrêa e parceria socioambiental com a Sea Shepperd Brasil, Instituto Anjos do Mar e Ambiens Sustentabilidade Integrada. Mais informações, notícias, fotos, vídeos e todos os resultados no Fecasurf.com.br.

-----------------------------------------------------------

Assessoria de Imprensa do Floripa Pro 2023

JBC Notícias e Assessoria - João Carvalho

(48) 999-882-986 – jbcsurfnews@hotmail.com

-----------------------------------------------------------

RESULTADOS DO ÚLTIMO DIA DO FLORIPA PRO ETAPA JOAQUINA:

DECISÃO DO TÍTULO MASCULINO:

Campeão: Alex Ribeiro (SP) por 16,07 pts (9,07+7,00) - R$ 5.000 e 1.000 pts

2.o lugar: Gabriel Klaussner (SP) com 14,50 pts (8,50+6,00) - R$ 3.500 e 860 pts

SEMIFINAIS - 3.o lugar com R$ 2.500 e 730 pontos:

1.a: Gabriel Klaussner (SP) 12,87 x 11,20 Lucas Silveira (RJ)

2.a: Alex Ribeiro (SP) 16,77 x 7,26 Caetano Vargas (SC)

QUINTA FASE - 3.o=5.o lugar (R$ 1.750 e 610 pts) e 4.o=7.o lugar com (R$ 1.500 e 555 pts):

1.a: 1-Lucas Silveira (RJ), 2-Alex Ribeiro (SP), 3-Weslley Dantas (SP), 4-Gabriel Junior (SC)

2.a: 1-Caetano Vargas (SC), 2-Gabriel Klaussner (SP), 3-Luan Wood (SC), 4-Walley Guimarães (SC)

DECISÃO DO TÍTULO FEMININO:

Campeã: Tainá Hinckel (SC) por 14,33 pts (7,83+6,50) - R$ 5.000 e 1.000 pts

2.o lugar: Camila Sanday (PER) com 6,90 pts (4,33+2,57) - R$ 3.500 e 860 pts

SEMIFINAIS - 3.o lugar com R$ 2.500 e 730 pontos:

1.a: Tainá Hinckel (SC) 11,50 x 9,67 Laura Raupp (SC)

2.a: Camila Sanday (PER) 7,77 x 6,63 Kiany Hyakutake (SC)

SEGUNDA FASE - 3.a=5.o lugar (R$ 1.750 e 610 pts) e 4.a=7.o lugar com (R$ 1.500 e 555 pts):

1.a: 1-Tainá Hinckel (SC), 2-Camila Sanday (PER), 3-Pamela Mel (SC), 4-Yasmin Dias (SC)

2.a: 1-Kiany Hyakutake (SC), 2-Laura Raupp (SC), 3-Isabelle Nalu (SC), 4-Potira Castaman (BA)

Leia também...

10.09.2023

José Francisco e Julia Duarte vencem os primeiros títulos do São Chico Pro na Prainha

As vitórias do campeão catarinense e da carioca na segunda etapa do Circuito Profissional da FECASURF, foram sobre Uriel Sposaro e a peruana Daniella Rosas

09.09.2023

Primeiros títulos do São Chico Pro serão decididos na manhã do domingo na Prainha

No sábado de ondas desafiadoras e praia cheia, foram definidos os oito e as oito melhores da segunda etapa do Circuito Catarinense Profissional

08.09.2023

São Chico Pro começa com 64 surfistas estreando na etapa do Circuito FECASURF Pro

Na sexta-feira foram disputadas 20 baterias para definir os adversários dos 16 cabeças de chave que entram no sábado antes de iniciar a competição feminina na Prainha

07.09.2023

São Chico Pro abre a segunda etapa do Circuito Catarinense nesta sexta-feira na Prainha

104 surfistas de 11 estados e até de outros países, já estão escalados para estrear nas ondas da Prainha e 64 competem nas duas rodadas masculinas do primeiro dia

Entre em contato