Floripa Pro abre o Circuito Catarinense Profissional de 2023 nesta sexta-feira na Praia da Joaquina

Tainá Hinckel (SC)
(Marcio David / Fecasurf)

José Francisco (PB)
(Marcio David / Fecasurf)

Willian Cardoso (SC)
(Marcio David / Fecasurf)

Nacho Gundesen (ARG)
(Marcio David / Fecasurf)

Cartaz do Evento
(Divulgação)

Tainá Hinckel e José Francisco vão iniciar a defesa dos títulos do circuito estadual mais rico do Brasil na etapa apresentada pela Prefeitura de Florianópolis

31.05.2023  |  1.572 visualizações

          A Prefeitura Municipal de Florianópolis apresenta o Floripa Pro 2023, que começa nesta sexta-feira na praia mais famosa da Ilha de Santa Catarina. A Praia da Joaquina vai abrir o Circuito Profissional da Federação Catarinense de Surf esse ano, com os primeiros líderes da temporada sendo decididos no domingo. Os campeões estaduais do ano passado, Tainá Hinckel e José Francisco, o Fininho, vão iniciar a defesa dos títulos do circuito regional mais rico do Brasil, em um dos maiores palcos do esporte no continente. A competição será transmitida desde a sexta-feira até o domingo, ao vivo da Praia da Joaquina pelo Fecasurf.com.br.

          O Floripa Pro Etapa Joaquina é a primeira das cinco etapas do Circuito Catarinense Profissional programadas para este ano. Em cada uma, a FECASURF oferece 50.000 Reais de premiação, a ser dividida aos mais bem colocados nas categorias masculina e feminina. As outras etapas estão marcadas para São Francisco do Sul no Norte do estado, Garopaba e Laguna no Sul, com a grande final acontecendo em Florianópolis. No ano passado, a Praia da Joaquina não sediou nenhuma etapa, agora foi a escolhida para abrir o Circuito Profissional de 2023.

          O fato do Floripa Pro acontecer na icônica Praia da Joaquina, um dos maiores palcos do esporte na América do Sul, bem como a boa premiação, atraiu surfistas de outros estados, como do Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul, Bahia, Ceará, que nem pontuam no ranking catarinense. E até de outros países, como o argentino Nacho Gundesen e a peruana Camila Sanday. Serão mais de 100 surfistas competindo nas ondas da Joaca a partir desta sexta-feira, 88 na categoria masculina e 16 na feminina.

          Entre os inscritos, tem surfistas que já conquistaram títulos catarinenses, como a bicampeã Tainá Hinckel e os bicampeões Caetano Vargas, Marco Polo, Diego Rosa, além de Luan Wood, Uriel Sposaro, Raphael Becker e o defensor do título, José Francisco, o Fininho, como é mais conhecido o paraibano que há mais de 10 anos mora em Florianópolis. Também tem participantes que já representaram o Brasil na elite mundial da World Surf League, como os catarinenses Willian Cardoso e Marco Polo e os paulistas Alex Ribeiro e Wiggolly Dantas.

          “É uma honra e grande satisfação, a abertura do Circuito Catarinense Profissional da FECASURF acontecer na nossa Praia da Joaquina”, celebra Delmar Correa, presidente da Associação de Surf da Joaquina (ASJ). “A expectativa é de altas ondas para os surfistas mostrarem suas habilidades, dando um show para os fãs e comunidade local. Para nós, o evento serve como uma vitrine para mostrar também a importância da sustentabilidade e da harmonia entre o homem e a Natureza, a necessidade de proteger e preservar as praias que são palco desse esporte. Esse evento será uma oportunidade para conscientizar e inspirar a todos, sobre a relevância da preservação ambiental das praias do nosso estado”.

          A Federação Catarinense de Surf é um exemplo para todo o Brasil, como a mais organizada e a que mais promove competições de alto nível em todas as categorias. Um dos diferenciais da nova gestão da FECASURF, desde quando Renato Melo foi eleito para a presidência, além de resgatar um circuito profissional forte com boa premiação, é a preocupação com a preservação ambiental nos seus eventos. A entidade tem até um Diretor de Meio Ambiente, o biólogo Reinaldo Langer Jaeger. Ele é o responsável pela gestão socioambiental do evento, incluindo programações e ativações nos locais que recebem as etapas da FECASURF.

          Algumas novidades serão inauguradas no Floripa Pro Etapa Joaquina. Uma delas é o SELO EVENTO SUSTENTÁVEL, uma Certificação Ambiental que a FECASURF criou para atestar pelas boas práticas socioambientais utilizadas no evento, oferecendo qualificação, auditoria e benefícios de marketing para as associações/promotores. A outra ação amplamente incentivada pela Associação de Surf da Joaquina, junto ao Programa CarbonOK®, é o BOSQUE DAS VITÓRIAS, uma ação pioneira para refletir o comprometimento dos surfistas com a preservação do meio ambiente nas praias que recebem os eventos da FECASURF, além de valorizar estes atletas e os seus títulos.

BOSQUE DAS VITÓRIAS - Os campeões do Floripa Pro Etapa Joaquina vão plantar árvores no estacionamento da Praia da Joaquina e o objetivo dessa iniciativa, é compensar as emissões de carbono geradas durante o campeonato. O plantio de árvores é uma forma eficaz de capturar o dióxido de carbono, um dos principais gases responsáveis pelo aquecimento global. Esse gesto representa o compromisso dos atletas para deixar um legado positivo, além de criar uma área verde no lugar. Este projeto possui o apoio do CarbonOK®, um programa de neutralização de carbono, que atua há mais de 10 anos no mercado nacional.

          “É essencial destacar o compromisso dessa diretoria da FECASURF e todos os envolvidos no Circuito Catarinense Profissional, com a sustentabilidade ambiental”, destaca Delmar Correa, presidente da Associação de Surf da Joaquina. “A conscientização sobre a importância da preservação, é disseminada entre os competidores, espectadores e demais participantes do evento. Medidas são adotadas para minimizar o impacto ambiental, como a coleta seletiva de resíduos, o uso consciente de recursos naturais e a promoção de ações educativas sobre a conservação dos ecossistemas costeiros. Parabéns a FECASURF pela iniciativa”.

          O Floripa Pro 2023 Etapa Joaquina é uma realização da Federação Catarinense de Surf (FECASURF) e Associação de Surf da Joaquina (ASJ), com patrocínio da Prefeitura de Florianópolis, através da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer, apoio do Cris Hotel, dos restaurantes À Tôa na Jôa, Pedra Careca, Recanto do Maurílio, do Mercado e Panificadora Corrêa e parceria socioambiental com a Sea Shepperd Brasil, Instituto Anjos do Mar e Ambiens Sustentabilidade Integrada. A competição será transmitida ao vivo pelo Fecasurf.com.br.

-----------------------------------------------------------

Assessoria de Imprensa do Floripa Pro 2023

JBC Notícias e Assessoria - João Carvalho

(48) 999-882-986 – jbcsurfnews@hotmail.com

-----------------------------------------------------------

TOP-10 DO RANKING CATARINENSE FECASURF - 5 etapas:

Campeão: José Francisco (Florianópolis) - 5.260 pontos

02: Matheus Navarro (Itajaí) - 4.660

03: Lucas Silveira (Florianópolis) - 4.256

04: Walley Guimarães (Imbituba) - 3.980

05: Hedieferson Junior (Itapoá) - 3.820

06: Kaique Oliveira (Navegantes) - 3.500

07: Lucas Vicente (Florianópolis) - 3.400

08: Luiz Mendes (Florianópolis) - 3.370

09: Luan Wood (Florianópolis) - 3.350

10: Marcio Farney (Florianópolis) - 3.180

TOP-10 DO RANKING CATARINENSE FECASURF - 5 etapas:

Bicampeã: Tainá Hinckel (Palhoça) - 4.000 pontos

02: Laura Raupp (Florianópolis) - 2.590

03: Juliana Quint (Florianópolis) - 2.415

04: Potira Castaman (Florianópolis) - 2.330

05: Yasmin Dias (Passos de Torres) - 1.870

06: Susã Leal (São Fco. do Sul) - 1.735

07: Kiany Hyakutake (Florianóplis) - 1.700

08: Maya Carpinelli (Garopaba) - 1.560

09: Larissa Adriano (Navegantes) - 955

10: Natalie Plachi (Garopaba) - 760

CAMPEÕES CATARINENSES PROFISSIONAIS DA FECASURF: desde 1980

2022: José Francisco (PB) e Tainá Hinckel (SC) bicampeã

2021: Mateus Herdy (SC) e Tainá Hinckel (SC)

2020: Ian Gouveia (PE) em 1 etapa virtual pela internet

2019: Luan Wood (SC)

2018: Uriel Sposaro (SC)

2017: Caetano Vargas (SC) bicampeão

2016: Caetano Vargas (SC)

2015: André Moi (SC)

2014: Marco Giorgi (URU)

2013: Tomas Hermes (SC) bicampeão

2012: Yuri Gonçalves (SC)

2011: Tiago Bianchini (SC)

2010: Tomas Hermes (SC)

2009: Tânio Barreto (AL)

2008: Marco Polo (SC) bicampeão

2007: Marco Polo (SC)

2006: Diego Rosa (SC) bicampeão

2005: Jean da Silva (SC)

2004: Diego Rosa (SC)

2003: Raphael Becker (SC)

2002: Neco Padaratz (SC)

2001: Fabio Carvalho (SC) bicampeão

2000: James Santos (SC) bicampeão

1999: Guga Arruda (SC) bicampeão

1998: Teco Padaratz (SC)

1997: Luli Pereira (SC)

1996: James Santos (SC)

1995: Guga Arruda (SC)

1994: Junior Maciel (SC)

1993: Fabio Carvalho (SC)

1992: Carlos Santos (SC)

1991: não houve circuito

1990: Saulo Lyra (SC)

1989: Ivan Junkes (SC) bicampeão

1988: Icaro Cavalheiro (SC)

1987: Ivan Junkes (SC)

1986: Luiz Neguinho (SC)

1985: Waldemar “Bilo” Wetter (SC)

1984: David Husadel (SC) tricampeão

1983: David Husadel (SC) bicampeão

1982: Picuruta Salazar (SP)

1981: David Husadel (SC)

1980: Roberto Lima (SC)

Leia também...

10.09.2023

José Francisco e Julia Duarte vencem os primeiros títulos do São Chico Pro na Prainha

As vitórias do campeão catarinense e da carioca na segunda etapa do Circuito Profissional da FECASURF, foram sobre Uriel Sposaro e a peruana Daniella Rosas

09.09.2023

Primeiros títulos do São Chico Pro serão decididos na manhã do domingo na Prainha

No sábado de ondas desafiadoras e praia cheia, foram definidos os oito e as oito melhores da segunda etapa do Circuito Catarinense Profissional

08.09.2023

São Chico Pro começa com 64 surfistas estreando na etapa do Circuito FECASURF Pro

Na sexta-feira foram disputadas 20 baterias para definir os adversários dos 16 cabeças de chave que entram no sábado antes de iniciar a competição feminina na Prainha

07.09.2023

São Chico Pro abre a segunda etapa do Circuito Catarinense nesta sexta-feira na Prainha

104 surfistas de 11 estados e até de outros países, já estão escalados para estrear nas ondas da Prainha e 64 competem nas duas rodadas masculinas do primeiro dia

Entre em contato